Diário de um Crohnista

Aprendendo a ver o lado bom das coisas

  • Autoestima
  • Depoimentos

Você já deve ter ouvido falar que devemos sempre olhar o lado bom das coisas, mas é bem difícil quando passamos por um problema que parece não ter solução, não é mesmo? Quando eu fui diagnosticado com a Doença de Crohn, pensei que minha vida nunca mais seria a mesma, e de fato, ela não foi, mas depois de tanto tempo convivendo com a Doença, ter aprendido tanta coisa, eu me pergunto se gostaria que as coisas tivessem sido diferentes. Tudo porque eu passei a ver o lado bom das coisas.

Isso é algo que podemos treinar na nossa mente e aplicar em qualquer situação da nossa vida, o segredo é observar sem julgar, apenas olhe, respire e dê um tempo para as coisas se encaixarem. Muitos dos nossos problemas e preocupações são criados pela nossa mente, sempre imaginando o pior, existe uma curta e bela frase budista que expressa isso, “Já sofri por muitas coisas na vida, a maioria delas nunca existiu”. Não estou dizendo que a Doença de Crohn não existe, que é problema da nossa mente, ela é bem real, mas parece uma doença diferente na fase de crise e remissão, e no começo só conhecemos o pior lado dela. O que estou querendo dizer é que existem dois tipos de pessoas. Qual delas você é?

Existem dois tipos de pessoas

Nenhuma enfermidade em si tem nenhum lado bom, ainda mais uma doença crônica, a rotina de remédio, exames, consultas é bem cansativa, mas indiretamente, a forma que nos adaptamos, adquirimos hábitos novos e saudáveis, para cuidarmos da nossa saúde, podem consequentemente melhorar nossa vida.

Alimentação

Quase todo mundo se alimenta de forma errada, comem para sentir prazer e não para fornecer o que nosso corpo precisa. Eu também era assim, não nego, mas depois do Crohn, passei a pensar duas vezes antes de comer qualquer coisa. Não valia a pena passar o próximo dia com dores e no banheiro por causa de um bolo de chocolate, cerveja, café ou a pipoca com a Netflix. No começo é a parte mais difícil, mas podemos sobreviver sem essas coisas e passar a gostar de outras nas crises. Hoje eu sei o que posso ou não comer, passo com nutricionista e sigo uma dieta, parecida com essa. E o melhor esta sendo voltar a comer de tudo o que eu não podia, agora na remissão.

Bem estar

Quando nos sentimos bem, raramente damos valor a esses momentos. Depois de ser diagnosticado com Crohn, ainda com crise, senti tanta falta de coisas simples como dormir uma noite inteira, poder comer o que gosto ou simplesmente não sentir dor, que aprendi a valorizar tudo isso. Hoje não preciso de muito ou de alguém pra me sentir bem, apenas acordar de manhã, ir no banheiro e ver que está tudo () bem, já me da uma felicidade enorme, que só quem tem uma doença inflamatória intestinal sabe o que é.

Propósito

Um ano depois de ser diagnosticado, entrando em remissão, eu resolvi criar esse blog pra divulgar informações sobre DII e ajudar outros pacientes, na época haviam poucos lugares para tirarem dúvidas e isso é um dos problemas, para quem acabou de ser diagnosticado. A partir disso eu conheci muitas pessoas incríveis, em grupos de apoio ou até os médicos que faço acompanhamento, que eu não teria conhecido se não fosse a Doença de Crohn. Eu fiz da doença um proposito para ajudar as outras pessoas e realmente me sinto bem por isso.

Não fique indignado por qualquer dificuldade que você esteja passando, antes de se perguntar porque isso foi acontecer com você, me responda, porque não você? Me diga o que te falta para superar todas as barreiras invisíveis que te cercam? Tempo? Vontade? Você já tem tudo o que precisa dentro de você, mas talvez ainda não saiba. No caso do Crohn, mesmo que esteja sendo difícil, você está no caminho, é necessário passar pela crise para chegar na remissão, todo mundo que está bem hoje passou por isso, infelizmente não é apenas indo ao médico que ficamos bem, por isso mude, mude de alimentação, de medicamento, de pensamentos. Mas não desista. Não veja apenas os problemas, mude o foco,  você vai ver que a vida se torna mais leve quando paramos de pedir e reclamar e passamos a agradecer mais pelo bem que temos.

Essas foram as coisas positivas que ganhei junto com a Doença de Crohn. É uma lista pessoal, você pode se identificar ou encontrar os seus próprios motivos, apenas olhe e tente encontra-los. Caso tenha algum, conte para nós nos comentários blog ou no post do Facebook.

Comentários

comentários

Sobre mim

Meu nome é Sérgio Junior, eu tenho 25 anos e sou portador da Doença de Crohn desde 2014, uma Doença Inflamatória Intestinal (DII), autoimune, sem cura e com causa desconhecida. Mesmo com a doença, pude conquistar muitas coisas e hoje ter uma vida normal. Criei esse blog pra ser mais uma fonte de informação, ajudar os outros portadores, divulgar as DII’s para sociedade e mostrar que é possível viver bem com uma DII.