Diário de um Crohnista

Como conseguir os medicamentos gratuitamente

  • Tratamento

Por ser uma doença crônica, é necessário tomar medicamentos diariamente para controlar a Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa. Depois de feitos os exames, um médico especialista deve verificar a situação e recomendar o tratamento adequado. Inicialmente com uma dose de ataque, um pouco maior, para ter mais efeitos e ir diminuindo gradativamente com o tempo e a melhora. Hoje eu tomo 3 comprimidos de Mesalazina e 2 de azatioprina por dia e 2 injeções de adelimumab (Humira). Uma caixa com 30 comprimidos custam R$60,00, eu gastaria R$300,00 com eles, além das duas doses de Adelimumab, mais R$8.000,00, em um mês.

Óbvio que esse custo é inviável para um tratamento tão longo, mas, o Governo disponibiliza todos esses medicamentos gratuitamente pelo SUS, nas farmácias de alto custo ou postos de saúde. Para conseguir é bem simples. Basta ser cadastrado no programa do SUS, o que pode ser feito em qualquer posto de saúde público, retirar o formulário de solicitação numa farmácia de alto custo ou posto de saúde e entregar para seu médico preencher, com o laudo, relatório e receita. Também tem uma lista de exames para ser entregue, geralmente, apenas de sangue, uma cópia e via original do comprovante de endereço, documento de identidade e Cartão do SUS, então, dar entrada no posto de saúde ou farmácia de alto custo, para retirar o medicamento 30 dias depois. Esse procedimento é renovado periodicamente com a entrega do formulário com laudo, relatório e receita prescrito pelo seu médico, os exames feitos recentemente e os mesmo documentos documentos.

Os medicamentos fornecidos são Azatioprina, Adelimumab, Ciclosporina, Ciprofloxacina, Hidrocortisona, Infliximab, Mesalazina, Metotrexato, Metronidazol, Prednisona e Sulfasalazina. Em locais onde esses medicamentos não estão disponíveis por meio do SUS, os pacientes podem recorrer à justiça para garantir que o Estado forneça os remédios. Ações como essa, em geral, tem sido bem-sucedidas, visto que a saúde, segundo a Constituição de 1988, é um direito de todos e deve ser garantida pelo Estado.

Isso facilita e muito a vida de um portador de DII, poder fazer um tratamento caro e longo sem gastar muito. Mas preciso dizer que as vezes, dependendo do remédio e demanda, ele pode estar em falta. Você terá que comprar ou ligar para saber se já chegou.

Para mais informações, verifique a relação de documentos e exames para Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa.

Comentários

comentários

Sobre mim

Meu nome é Sérgio Junior, eu tenho 25 anos e sou portador da Doença de Crohn desde 2014, uma Doença Inflamatória Intestinal (DII), autoimune, sem cura e com causa desconhecida. Mesmo com a doença, pude conquistar muitas coisas e hoje ter uma vida normal. Criei esse blog pra ser mais uma fonte de informação, ajudar os outros portadores, divulgar as DII’s para sociedade e mostrar que é possível viver bem com uma DII.