Diário de um Crohnista

Tratamentos Alternativos – Auto Hemoterapia

  • Informações
  • Tratamento

Embora as Doenças Inflamatórias Intestinais (DII) sejam uma doença crônica, rara e sem cura, existem inúmeras formas de tratamento. Desde os convencionais, com os remédios, até os métodos alternativos, mais baratos, acessíveis e questionados pela medicina brasileira, que é financiada pela grande indústria farmacêutica. Para mais detalhes, veja o post com os 10 segredos que os médicos não contam.

Alguns desses métodos alternativos são altas doses de vitamina D, o consumo da Cannabis, o leite/água de Kefir, a Auto Hemoterapia, a prática de Yoga, acupuntura, etc. Existem alguns estudos particulares comprovando a eficácia de cada um desses métodos e até pessoas que dizem que foram curadas. Independentemente, um dos meus motivos de criar esse blog é de divulgar informações para quem sofre de DII ou qualquer outra doença auto-imune. Nos curando ou só melhorando nossa qualidade de vida, muitas vezes não nos custa nada experimentar esses métodos, mais do que continuar tomando os remédios caros, que nos deixam em um estado tolerável aos sintomas e podem causar algum outro problema pelo uso a longo prazo.

Eu quero estudar bem esses métodos e escrever um artigo detalhadamente de cada um deles. O primeiro que vou falar será da Auto-Hemoteria, que descobri recentemente e em breve pretendo começar a usar.

AUTO-HEMOTERAPIA

A AHT é uma técnica simples, onde se retira de 5ml até 10ml de sangue e é aplicado logo em seguida no músculo do braço ou nos glúteos do mesmo paciente. Isso estimula o aumento dos macrófagos, que faz a limpeza no nosso corpo, eliminando as bactérias, vírus, células cancerosas, partículas estranhas provenientes do sangue ou dos tecidos. Isso ocorre porque o sangue no músculo funciona como um corpo estranho a ser rejeitado pelo Sistema Retículo – Endotelial (SRE), que tenta eliminar esse sangue do músculo. Nosso sistema de defesa fica ativado no máximo e a taxa de macrôfagos chega a 22% por até 5 dias, quando volta para 5%, que é a taxa de uma pessoa normal, e a AHT pode ser aplicado novamente.

AHT-descr

A AHT era ensinada nas escolas de medicina e usada em pacientes regularmente desde o início do século passado, até surgir os antibióticos, que passaram a dar muito mais lucros aos laboratórios farmacêuticos. Desde então o uso da AHT foi sumindo. O maior divulgador dessa técnica no Brasil e no mundo era o Dr. Luiz Moura, médico formado pela faculdade de medicina do Rio de Janeiro, que desde 1940 usava essa técnica para evitar infecções dos pacientes no pré e pós operatório. Foi só depois de uma pesquisa feita por outro brasileiro, o Dr Ricardo Veronessi, em 1976 que se descobriu os inúmeros benefícios do Sistema Retículo – Endotelial, com a AHT.

Desde então, o Dr. Luiz Moura chegou a usar a AHT para tratar, curar ou prevenir várias outras doenças, desde alergias, asma, rinite, acne, hepatite, mioma, toxoplasmose, cisto no ovário, e principalmente em Doenças Autoimune, como Lúpus, Psoríase, Artrite Reumatoide e Doença de Crohn, com auxílio de vitamina D. Pessoas que passaram a ter uma vida normal, sem precisar usar mais os medicamentos. Recentemente a AHT foi usado até para tratar com sucesso o surto de Ebola na África.

Um dos principais casos foi de uma senhora que estava há 8 meses sem andar, diagnosticada com Esclerodermia em Fase Final, uma doença autoimune que enrijece a pele e os tecidos conjuntivos, o corpo fica rígido como madeira, geralmente, o pulmão não consegue se expandir e a pessoa acaba falecendo por asfixia por não conseguir respirar. A dermatologista responsável, Dra. Rícia Álvaro Florião, que tinha sido residente numa clínica nos EUA para onde iam todos os casos de Esclerodermia, nada podia fazer pela paciente, foi quando o Dr. Luiz Moura apresentou os trabalhos do Dr. Jesse Teixeira e pediu para testar o procedimento na paciente. Ele aplicou 20ml de sangue para ter certeza de uma ação e a melhora foi algo absurdo. Um mês depois essa senhora saiu andando do hospital.

Existem medicamentos feito a base de lisado timo de vitela que tem o mesmo efeito da AHT e chegam a custar R$140 a caixa. Por ser uma técnica barata, que não iria trazer nenhum benefício para grandes empresas farmacêuticas, alguns médicos dizem que não há comprovação científica, que pode trazer riscos graves, mas até hoje, não houve nenhum único caso de complicação por causa da AHT, já que ninguém é alérgico ao próprio sangue.

Para aplicar, você pode procurar algum farmacêutico ou enfermeiro que tenha experiência na sua região. No Facebook existem grupos com mais de 20.000 pessoas contando seus casos, tirando dúvidas ou procurando algum profissional para fazer a aplicação. O custo? Apenas a seringa que você usar. A AHT não tem contraindicação, a dosagem é relativa, se você quiser apenas evitar doenças pode fazer o uso de 5ml a 10ml de sangue de 7 em 7 dias. Se for pra tratar algo mais sério, o indicado é de 10ml a 20ml, de 5 em 5 dias. Fazendo 10 sessões e descansando um mês. Mas é importante que você não deixe de tomar todos seus remédios de uma vez. Os resultados da AHT são a médio prazo.

O Dr. Luiz Moura infelizmente nos deixou há pouco tempo atrás, em Junho desse ano. Mas os resultados da sua causa vão continuar para sempre. Na internet existem campanhas para a liberação e divulgação dessa técnica. Em 2007 foram distribuídas várias cópias de um DVD pelo Brasil com uma entrevista com o Dr Luiz Moura sobre a AHT. Seja um tratamento alternativo, com provas científicas ou não, os números não mentem, a AHT tem grande eficácia contra várias doenças e males e já melhorou a vida de muitas pessoas que foram apresentadas a ela. A seguir vou deixar alguns links para você se informar melhor se tiver interesse.

Deixe seu comentário logo a baixo se tiver alguma dúvida ou experiência já com a AHT.


Links Úteis

Entrevista com o Dr. Luiz Moura em Vídeo
Entrevista com o Dr. Luiz Moura em Texto


Grupos no Facebook

Auto-Hemoterapia – Meu Sangue Me Cura
Auto-Hemoterapia Geral


Relatos de cura da Doença de Crohn com a AHT


Lista de aplicadores em todo Brasil

Comentários

comentários

Sobre mim

Meu nome é Sérgio Junior, eu tenho 25 anos e sou portador da Doença de Crohn desde 2014, uma Doença Inflamatória Intestinal (DII), autoimune, sem cura e com causa desconhecida. Mesmo com a doença, pude conquistar muitas coisas e hoje ter uma vida normal. Criei esse blog pra ser mais uma fonte de informação, ajudar os outros portadores, divulgar as DII’s para sociedade e mostrar que é possível viver bem com uma DII.